quinta-feira, 11 de abril de 2013

Epcot: visão geral e tendenciosa

Pouca gente sabe o que significa a sigla EPCOT e lá dentro do complexo da Disney existem algumas brincadeirinhas sobre isso.

Dizem que, para os visitantes, o significado é: Every Person Comes Out Tired (ou "todo mundo vai embora cansado").

No caso dos cast members, o pessoal que trabalha por lá, a sigla também pode ser de: Every Paycheck Comes On Thursday (ou "o pagamento sai às quintas")!

Mas o significado oficial, como quis Walt, eu conto: Experimental Prototype Community of Tomorrow!




Quando ele projetou o parque, a ideia era que o EPCOT fosse o protótipo de uma comunidade do futuro.

Encontrei umas fotos interessantes de propagandas do parque, anunciando a inauguração, em 1982.

Dá pra perceber toda uma coisa modernosa, mesmo pra época:




A ideia deu tão certo que a Disney tinha planos para contruir o WestCOT, um parque nos moldes do Epcot na costa oeste dos Estados Unidos, ao lado da Disneyland. O projeto acabou não indo adiante e, mais tarde, a expansão da Disney de lá ficou por conta do California Adventure.

Mas voltando à Flórida e à "comunidade protótipo do amanhã"...

A Spaceship Earth (a bola) mesmo já retratava o futuro. Ela conta a história da comunicação desde a invenção do alfabeto, passando pela novidade da imprensa e do telefone até chegar ao presente e, depois, ao futuro. Com o tempo, o "futuro" que ela mostrava chegou e a atração foi ficando ultrapassada. E então passou por uma super reforma que resolveu esse problema.

Mas estou passando o carro na frente dos bois. Voltarei à Spaceship Earth depois, com calma e detalhes.

O que quero dizer é que neste parque encontramos muita tecnologia e modernidade. Walt queria que fosse um espaço para apresentação de novas ideias, onde se pudesse explorar a imaginação e a criatividade. Segundo ele, o parque estaria sempre em desenvolvimento e nunca seria finalizado.

Tudo isso é o que vemos no "Future World", a primeira metade do parque, onde temos a maior parte das atrações "de verdade", cheias de tecnologia, como o Test Track, Mission: Space e Soarin', por exemplo.

Lá a gente vê coisas desse tipo:

Segway
Muitos cast member usam esse meio de transporte aí, o Segway, pra se deslocarem pelo parque.

Vale lembrar que o Epcot é enorme, mais do que duas vezes o tamanho do Magic Kingdom! Então esse "carrinho" aí, além de combinar bem com o espírito de modernidade, acaba sendo muito útil também.

Acho que tá na hora de ver um mapa, né?

Clicando na imagem, ela fica bem grande e dá pra ver a divisão clara em duas partes. (Uma observação prática: é bom ficar atento aos horários do parque, porque as seções são tão independentes que têm horários de funcionamento diferentes. Geralmente o "Future World" abre mais cedo e também não são todas as atrações que funcionam até o fechamento do parque.)

Depois do "Future World", em volta da lagoa é onde fica o "World Showcase".

Mapa do World Showcase, os países.

Esta parte é dedicada a explorar um pouco da cultura ao redor do mundo, e é dividida em pavilhões dedicados a onze países.

A saber, em sentido horário na lagoa:

  • Mexico México
  • Norway Noruega
  • China China
  • Germany Alemanha
  • Italy Itália
  • United States EUA, ou "The American Adventure"
  • Japan Japão
  • Morocco Marrocos
  • France França
  • United Kingdom Reino Unido
  • Canada Canadá

Muita gente não sabe, mas o Epcot tem uma segunda entrada, entre a França e o Reino Unido, chamada de "International Gateway". Ela é útil principalmente para quem se hospeda em alguns resorts ali perto.

Os pavilhões buscam representar os países com a maior fidelidade possível. Para isso, encontramos construções típicas, comidas e bebidas locais, lojas vendendo artigos que remetem à cultura de cada um...

E ainda tem um "detalhe" muito especial. Todos os cast members contratados para o World Showcase têm que ser originários do país em que trabalham e falar a língua de lá. E isso dá um toque todo especial que deixa a experiência muito mais completa.

Você chega no pavilhão do México e vê gente com carinha de mexicano, falando inglês com o sotaque característico; passa pela Noruega e vê gente lindaaa, todo mundo loiro, com cara de nórdico; na Itália pode pegar alguém gesticulando mais do que o necessário; e na China todo mundo tem os olhinhos puxados de verdade.

A lagoa, cercada de países das mais diversas culturas

Por tudo isso e mais um monte de outras coisas é que eu gosto tanto deste parque. Acho que, para adultos, não há como fazer uma visita e não encontrar pelo menos um cantinho de lá que chame a atenção e agrade...

Se você gosta de maquiagens e perfumes, pode dar um passeio nas lojas da França.

Se coisas exóticas e diferentes te atrem, o Marrocos é o lugar certo (tem tapetes lindos!).

Se você não fica sem uma cerveja, pode fazer uma visita à Alemanha.

Se curte incensos, papelaria, origami e/ou a Hello Kitty, não pode deixar de conhecer a  loja do Japão.

Comida mexicana? Tem!

Chinesa? Também.

Fonte pra fazer um pedido com uma moedinha? Itália!

Vikings? Trolls? Noruega!

Vinhos? Aí ficou fácil: Itália, França...

E isso porque eu estou esquecendo do "Future World", pra quem curte modernidade e novas tecnologias.

Parece até que to ganhando alguma coisa pra escrever esse post, né?


2 comentários:

  1. Bárbara, seu blog é sensacional! Apesar de ser novato por aqui, já sou um grande fã dos seus posts. Não pare de escrever pleeease!
    Ainda há muita coisa pra você contar (e ensinar) pros seus leitores. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Adorei o comentário!
      Volte sempre! ;)

      Excluir